Oscar vê Fla favorito no Mundial e no NBB







Oscar Schmidt (Foto: Thiago Braga/Sportv.com)

Oscar Schmidt é um ídolo para torcida do Flamengo. E como tal, ele não se furta em apontar o Rubro-Negro como favorito nas duas decisões que o time tem pela frente: as finais do Mundial de Clubes, contra o Maccabi Tel Aviv e do NBB. Ele espera que a equipe carioca repita o feitro que ele conseguiu com o Sírio, em 1979, e se consagre campeão mundail em casa.

- Acho que nós vamos ganhar. Não tem por que o Flamengo não ganhar. Disputar qualquer título já é uma honra, imagina disputar dentro do Maracanãzinho, com o ginásio lotado. Só não vai ganhar se os caras jogarem muito. Lá dentro da quadra são cinco contra cinco, um contra um. Flamengo vai ganhar. De repente, até perde, mas acho que vai ganhar. (No NBB) O Flamengo deu, não digo sorte, mas o único time que pode ganhar do Flamengo é Brasília. E Brasília foi eliminado. Os times de São José e do Paulistano, por melhores que sejam, talvez não ganhem um jogo do Flamengo. Flamengo provavelmente vai vencer fácil essa final. Aí vai jogar o Mundial contra o Maccabi Tel Aviv, vai ganhar o Mundial também e com isso vai fechar um ciclo ganhando todos os títulos do basquete – afirmou o Mão Santa.

O rival na final do NBB ainda não está decidido, Paulistano e São José se enfrentam nesta sexta no último e decisivo jogo para definir quem enfrenta o time carioca. A série semifinal está empatada em 2 a 2. Já a final do Mundial de clubes será nos dias 26 e 28 de setembro no Rio de Janeiro, e será disputada em dois jogos.

  •  
Basquete - Flamengo x Mogi - Jogo 4 semifinal NBB (Foto: Cleomar Macedo)

Oscar passou quatro anos no Flamengo. Depois da passagem do então camisa 14 pela Gávea, no fim dos anos 90 e começo dos anos 2000, a relação se fortaleceu, a ponto de ele mudar de paixão.

- Virei a casaca, antes eu torcia para o Fluminense. Mas o Fluminense, pelo amor de Deus, não dá para torcer pelo time do pai. Eu virei a casaca no Flamengo. Como virei a casaca em São Paulo. Eu torcia para o Santos. O Pelé não joga mais. O Santos nunca fez nada pelo basquete. O Corinthians tinha um grande time no basquete, fui campeão nacional lá. Quando ganha um título em um time desse é diferente. E hoje eu só vejo jogo do Corinthians, do Flamengo e da Seleção.

Para Oscar, uma saída para o basquete nacional se desenvolver mais e disputar com o vôlei o lugar de segundo esporte do Brasil é ter mais times de futebol disputando os torneios. Mas para Oscar, tudo tem que ser feito dos limites financeiros de cada um, para que os problemas muitas vezes enfrentados pelos jogadores de futebol não seja repetido no basquete.

- Esse é o sonho de consumo, ter pelo menos oito times de camisa, quatro no Rio e quatro em São Paulo. O Vasco tem outros problemas. O Vasco deveria pagar as pessoas, coisa que não fez no passado. O Flamengo não me deve nada. Nem um centavo, me pagaram tudo. Na justiça, mas pagaram. A pessoa vai entrar na justiça contra o Vasco e daí, quem que vai pagar aquilo? O Vasco deveria pensar nisso antes de montar um time. Me desculpe os torcedores vascaínos, mas é a pura verdade – finalizou o Mão Santa.

Compartilhe no Google +

About Primeiro Penta

Flamengo até depois de morrer, eu sou!
    Comentários no Blogger
    Comentários no Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Temos o direito de publicar ou não os comentários, já que, segundo a legislação brasileira, somos responsáveis por eles. Assim sendo, a educação é primordial nesse espaço. Comentários ofensivos não serão, obviamente, aprovados.
Comente sempre!