Flamengo vence a primeira do Mogi na semifinal do NBB






Flamengo x Mogi das Cruzes; NBB6; semifinal jogo 1 (Foto: Guilherme Peixinho)

Cheio e ensurdecedor. Assim estava o ginásio do Tijuca na noite desta segunda-feira. O favorito Flamengo espantou a zebra Mogi e venceu o primeiro jogo da série melhor de cinco das semifinais do NBB. Mas o confronto entre o líder e o 12º colocado da temporada regular só foi decidido nos minutos finais e com a ajuda preciosa de um trio inspirado. Nico Laprovittola, Marcelinho e Marquinhos foram responsáveis por 62 dos 88 pontos da equipe rubro-negra na vitória por 88 a 82. Se Marcelinho foi o destaque do primeiro quarto, e o argentino, do segundo, Marquinhos chamou para si a responsabilidade na etapa final e terminou como o cestinha da partida com 24 pontos.

Olivinha anotou apenas sete pontos, mas pegou 13 rebotes. Pelo lado do Mogi, Filipin e Toledo foram os destaques da noite, com 18 e 17 pontos, respectivamente.

Os primeiros quatro minutos foram um tormento para o Mogi. O caldeirão que se tornou o Tijuca, com grande presença da torcida, parece ter afetado o time de Paco Garcia, que desbancou favoritos como Pinheiros e Limeira. Os rubro-negros não deixavam os paulistas chegarem ao aro, fazendo o rival forçar muito os tiros de fora. Ao mesmo tempo, alternavam bom trabalho de bola com contra-ataques rápidos, conseguindo vantagem de 8 a 0. Passado o susto inicial, os paulistas colocaram os nervos no lugar e, aos poucos, foram tirando a diferença pelas mãos de Toledo e B. Simões, que marcaram cinco pontos cada. Mesmo com o Fla pecando nos chutes de três (foram seis erros em nove tentativas), Marcelinho se destacou com 10 pontos, ajudando os donos da casa a saírem de quadra com a vantagem mínima de 20 a 19.

Ao contrário do primeiro quarto, o segundo período começou encardido para os donos da casa. Gustavinho e Smith, ambos de três, colocaram os paulistas quatro pontos à frente, diminuindo a empolgação da torcida. Filipin e Jeff Agba saíram do banco para manter o padrão da equipe paulista. Pelo lado rubro-negro, Laprovittola e Gegê, que entrara no lugar de Marcelinho, eram os responsáveis não só pela armação das jogadas como pelos pontos. Os dois tiveram 100% de aproveitamento nos arremessos. Enquanto o brasileiro anotou quatro pontos, o argentino assinalou 11, sendo nove em bolas de três, uma delas do meio da quadra(assista ao vídeo), que voltou a levantar a arquibancada e mandou os cariocas para o vestiário com seis de vantagem (41 a 35).

Após o intervalo, o Flamengo voltou à quadra como começou o jogo: defesa forte e rápido na transição defesa/ataque. Assim, os cariocas venciam o sistema defensivo paulista, que chegava atrasado e cometia faltas. Em 14 oportunidades e com 100% de acerto, os mandantes foram à linha de lance livre, na maioria delas com Marcelinho e Marquinhos. O excesso de infrações levou ao banco o ala Filipin, cestinha do Mogi, com 14 pontos até então. A vantagem do Fla, que chegou a ser de 13 pontos, caiu nos minutos finais do terceiro quarto para nove, depois de muitas faltas do campeão da América. Com uma bola de três, Marquinhos subiu a diferença para 11. O ala foi o destaque do período com 14 pontos e três rebotes (68 a 57).

Aguerrido, o Mogi mostrou que não venderia a vitória tão facilmente. Com um jogo muito físico e intenso dentro do garrafão, os paulistas cortaram a desvantagem para sete. Sidão perturbava Meyinsse e Olivinha. Toledo era perigoso nos arremessos de média e longa distância. Porém, do lado carioca, Marquinhos vinha inspirado de um terceiro quarto. O ala, com mais oito pontos, era o desafogo rubro-negro.

O jogo vinha lá e cá, com a diferença sempre na casa dos oito e dez pontos. Restando três minutos e meio para o fim, o Mogi tinha a oportunidade de trazer a diferença para seis ou cinco, mas Gegê foi esperto, roubou a bola do adversário, subiu para a bandeja, deixando o placar em 80 a 70 e enlouquecendo a torcida rubro-negra. O Mogi ainda esboçou uma reação ao diminuir o marcador para quatro, quando restavam dois minutos. Só que o atual campeão demonstrou ser mais cascudo nos momentos finais e assegurou a primeira vitória na série ao fazer 88 a 82. Quarta-feira tem mais.

- Foi um jogo muito duro, já esperávamos isso. Eles vieram de uma série difícil contra o Limeira. A gente conseguiu abrir uma vantagem e administrá-la. Fomos bem nos rebotes, sabíamos que precisaríamos pegá-los e, na hora que precisava, as bolas caíram - avaliou Marquinhos, cestinha com 24 pontos.

O técnico José Neto destacou o volume do jogo do Flamengo e elogiou sua equipe:

- A gente tinha programado ter um bom volume de jogo, algo que não tivemos tanto contra o Bauru. Isso é importante para nossa equipe contra uma outra que defende duro como o Mogi. Fomos bem nos rebotes, isso é importante, mas agora é pensar no jogo 2, na quarta - disse o técnico José Neto.

As duas equipes voltam a se encontrar nesta quarta-feira, às 20h, novamente no Rio de Janeiro.

Do outro lado da tabela, Paulistano e São José iniciam a segunda semifinal nesta terça-feira, às 19h30, no ginásio Antônio Prado Jr., na capital paulista.
Compartilhe no Google +

About Primeiro Penta

Flamengo até depois de morrer, eu sou!
    Comentários no Blogger
    Comentários no Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Temos o direito de publicar ou não os comentários, já que, segundo a legislação brasileira, somos responsáveis por eles. Assim sendo, a educação é primordial nesse espaço. Comentários ofensivos não serão, obviamente, aprovados.
Comente sempre!