Flamengo fecha semifinal contra Mogi e vai em busca do tri






Mogi das Cruzes e Flamengo Basquete (Foto: João Pires / LNB)

A noite desta segunda-feira, no Ginásio Hugo Ramos, em Mogi das Cruzes, foi dele. O americano Jerome Meyinsse, de 25 anos, marcou 34 pontos, pegou seis rebotes, deu tocos sensacionais e comandou o Flamengo na vitória por 79 a 71, que fechou a série melhor de cinco jogos contra um surpreendente Mogi em 3 a 1. Agora, o bicampeão do NBB (2008/09 e 2012/13) e atual campeão das Américas vai em busca do seu terceiro título na competição nacional.  

Na grande final da temporada 2013/14 do NBB, no dia 31 de maio, na Arena da Barra, no Rio de Janeiro, o atual campeão vai encarar o vencedor do confronto entre Paulistano e São José. O time da capital lidera a série melhor de cinco jogos por 2 a 1 e pode assegurar a vaga na decisão nesta terça-feira, em São José dos Campos, às 21h (de Brasília).

Com as defesas de Mogi e Flamengo bem postadas no início da partida, demorou exatamente um minuto para a primeira cesta acontecer. Ela foi do Mogi e veio pelas mãos de Daniel Alemão. Demonstrando que não estava para brincadeira, o americano Meyinsse converteu quatro cestas seguidas, com direito a uma enterrada, dois lances livres certeiros e um tiro do perímetro. Com menos de 7 minutos de ação, o pivô do Fla já somava 10 pontos. Para neutralizar o rubro-negro, o técnico Paco García promoveu a entrada do pivô Sidão, de 2,15m. O grandalhão conseguiu brecar algumas investidas, mas não impediu que o rival ficasse todo o tempo na frente, mesmo quando Marquinhos reclamou de uma marcação do árbitro Sérgio Pacheco e gerou uma falta técnica. O armador Gustavinho converteu os dois tiros livres, porém a vantagem do Fla acabou aumentando para cinco pontos até o fim do primeiro quarto: 18 a 13.

Embalado pela torcida, o Mogi voltou de forma agressiva no segundo período, com uma cravada de Jefferson para empatar o jogo em 20 a 20. O Flamengo, que contava com Gegê no lugar de Marcelinho, passou a trabalhar mais a bola. Marquinhos e Meyinsse comandavam o visitante, e Bruno Simões respondia para o Mogi. Assim como Jeff Agba, que fez dois pontos, sofreu a falta e converteu o lance livre de bonificação para colocar os donos da casa na frente pela primeira vez desde a cesta inicial: 27 a 26.

Se Meyinsse dominou as ações no primeiro período, foi a vez de Agba ser o nome do segundo período. Além de contar com o fato de o Fla ter ficado quatro minutos sem pontuar, o gringo mostrou que estava com a mão calibrada e fez com que o Mogi abrisse sete pontos (33 a 26). No entanto, quando parecia que  os donos da casa iriam deslanchar, o Fla contou com o retorno de Marcelinho e a entrada do pivô Cristiano Felício para reequilibrar a partida e fazer com que o primeiro tempo acabasse com uma diferença de apenas dois pontos: 34 a 32.

Os primeiros minutos do segundo tempo anunciaram um Flamengo mais certeiro, principalmente de longa distância. Foram três bolas de três que deram a virada e a vantagem de sete pontos (43 a 36) aos cariocas. Os rubro-negros voltaram a ter Olivinha e Marquinhos como destaques. Mogi ainda tinha a precisão de Jeff Agba, que acertava todas suas tentativas. Porém, os campeões da América abriram 11 pontos (51 a 40) em cinco minutos.

Paco García pediu tempo e cobrou a mesma pegada defensiva que fez com que o 12º colocado da fase de classificação eliminasse Pinheiros e Limeira nos playoffs e fizesse frente ao poderoso Flamengo. Logo depois, Agba deu uma imponente enterrada e converteu um arremesso embaixo da cesta para diminuir para sete pontos a vantagem do rival. Jason Smith também contribuiu, e a diferença caiu ainda mais. Porém, Meyinsse acordou, voltou a brilhar e fez com que o Fla abrisse nove pontos de dianteira. Diferença que cresceu com um chute plástico de Shilton no segundo final do terceiro quarto: 61 a 50.

Tirar 11 pontos de desvantagem no último período não era tarefa fácil, principalmente quando a bola passa a não cair. Nos dois primeiros minutos do quarto final, cada time fez apenas uma cesta de dois. Melhor para o Flamengo, que trabalhava bem a bola. Tendo o tempo como inimigo, o Mogi ia com tudo para cima, mas enfrentava dificuldade para passar pela dupla de pivôs Meyinsse e Felício. Bem na retaguarda, a equipe carioca ampliou a vantagem para 14 pontos (66 a 52), faltando pouco mais de cinco minutos.

Como vontade jamais faltou ao Mogi nos playoffs, os jogadores deram o sangue em busca. Com transições rápidas, Jefferson marcou cinco pontos seguidos, Sidão ajudou e a vantagem rubro-negra caiu para seis (68 a 62). Laprovittola cavou uma falta, converteu os dois tiros livres. Parecia que isso iria esfriar os ânimos do Mogi. Ledo engano. Energizado pelos gritos de "eu acredito" da torcida, o quinteto mogiano não desistiu de lutar.

Só que a noite era de Meyinsse. Contratado no início da temporada, o americano fez sua melhor partida pelo Fla e passou pela primeira vez dos 30 pontos. Liderado por ele, os rubro-negros tinham 11 pontos de vantagem (77 a 66), quando o cronômetro apontava 43s07 para o fim. O Mogi fez mais quatro pontos e tomou dois. Mas não tinha jeito, o Flamengo assegurou a sua vaga na decisão: 79 a 71. Ciente da entrega do seu time, a torcida mogiana fez bonito logo após o apito final, gritando o orgulho de ser mogiano, apesar da eliminação.

parciais

1º período: Mogi 13 x 18 Flamengo
2º período: Mogi 21 x 14 Flamengo (34 x 32)
3º período: Mogi 16 x 29 Flamengo (50 x 61)
4º período: Mogi 21 x 18 Flamengo (71 x 79)

confrontos da série

Jogo 1 - 12/05 - Flamengo  88 x82   Mogi - Tijuca Tênis Clube
Jogo 2 - 14/05 - Flamengo 65 x 69  Mogi - Tijuca Tênis Clube
Jogo 3 - 17/05 - Mogi 78 x 80  Flamengo - Ginásio Hugo Ramos
Jogo 4 - 19/05 - Mogi 71 x 79 Flamengo - Ginásio Hugo Ramos

Compartilhe no Google +

About Primeiro Penta

Flamengo até depois de morrer, eu sou!
    Comentários no Blogger
    Comentários no Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Temos o direito de publicar ou não os comentários, já que, segundo a legislação brasileira, somos responsáveis por eles. Assim sendo, a educação é primordial nesse espaço. Comentários ofensivos não serão, obviamente, aprovados.
Comente sempre!