Flamengo elimina o Bauru e vai à semi do NBB






http://s2.glbimg.com/EkLvq6e0IpGYwoZYPN-9vjXnXek=/0x0:1504x850/690x390/s.glbimg.com/es/ge/f/original/2014/05/03/bas_bauru_flamengo_div01.jpg

As bolas de três pontos foram a arma do Flamengo nesta segunda-feira, no ginásio Panela de Pressão. Certeiras, 13 delas ajudaram o atual campeão das Américas a derrotar o Bauru por 84 a 81 e fechar a série quartas de final em 3 a 1 para avançar às semifinais do NBB. Agora, o time carioca terá pela frente o vencedor do duelo entre Limeira e Mogi, que jogam ainda nesta segunda. 

Tal qual no jogo 3, o Flamengo começou dominando o garrafão e aproveitando os contra-ataques. Desta vez, o argentino Laprovittola não demorou para deslanchar e foi quem guiou o time carioca. Empurrado pela barulhenta torcida que lotou mais uma vez o ginásio Panela de Pressão, o Bauru tinha dificuldade para fazer valer o uso da sua melhor arma: os tiros de longe. O jeito foi tentar mais infiltrações, principalmente com o armador Ricardo Fischer. E a tática deu certo. Os donos da casa passaram a liderar pela primeira vez após cesta de Murilo no perímetro (17 a 16), com 1min15s no cronômetro. Empolgado, o Bauru ainda contou com erros do americano Meyinsse em dois lances livres e conseguiu abrir quatro pontos, vantagem com a qual fechou o primeiro quarto (20 a 16). 

Ciente de que não poderia deixar o Bauru aproveitar o embalo, o Flamengo começou o segundo período mais ligado. Bastaram dois ataques para igualar o placar, com Marquinhos. Porém, isso em nada abalou o time de Bauru, que retomou a ponta, enlouquecendo a torcida. Mais fortes no garrafão, Murilo e Lucas Tischer conseguiram neutralizar as ações ofensivas do Fla, que durante a primeira metade do segundo quarto só contou com um titular (Marquinhos). Marcelinho, que pelo segundo jogo seguido estava abaixo do seu nível habitual, voltou à quadra e, após ter errado os quatro primeiros tiros de longa distância, enfim conseguiu marcar seus primeiros três pontos e recolocou os cariocas na liderança (30 a 29). O que se viu a partir dali foi o Bauru dando o seu máximo, e o Flamengo jogando com seriedade, mas sem dar aquele algo a mais. Sorte do Bauru que fechou o primeiro tempo na frente por apenas dois pontos (39 a 37).

Após os 15 minutos de intervalo, o Bauru voltou ainda mais empenhado. E manter-se à frente do placar não parecia mais uma missão tão complicada. Ainda mais quando seus principais jogadores estão bem, como Ricardo Fischer, Larry Taylor e, principalmente, Murilo, que era o rei do garrafão e levantava a torcida. Mas o Flamengo não é o atual campeão das Américas por acaso. Apagado até então, Olivinha acertou uma bonita cesta de três pontos, fez mais uma cesta e diminui para apenas um ponto a vantagem rival (50 a 49). E, pouco depois, após três pontos de Marquinhos, passou a vencer por 54 a 52. Era bola caindo lá e cá. Porém, após falta boba de Ricardo Fischer no estouro do cronômetro, Laprovittola, que sofreu a infração, converteu os três tiros livres, e o Fla abriu cinco pontos de vantagem ao final do terceiro quarto (63 a 58).

Após uma confusão envolvendo a pequena torcida do Flamengo que foi ao Panela de Pressão e torcedores do Bauru, que estavam em 2.000 pessoas, o último quarto começou com o Bauru demonstrando muita raça e qualidade nos tiros. Foi assim que o ala argentino Barrios recolocou o seu time na frente após tiro de três (67 a 66). Mas Laprovittola estava inspirado e com um plástico tiro da linha dos três, e Meyinsse, de dentro do garrafão, acabaram com a efêmera alegria bauruense e retomaram a dianteira (71 a 67).  A partir daí, pesou a maior qualidade técnica dos flamenguistas diante da grande vontade do Bauru.  E uma jornada inspirada do virtual cestinha do jogo, Laprovittola, que, em sequência fez de três e, sozinho, invadiu o garrafão para colocar com estilo a bola dentro da cesta, fazendo o Fla abrir oito pontos (77 a 69). O Bauru não desistiu e os momentos finais foram emocionante. Os donos da casa chegaram a ficar três pontos atrás (81 a 79). Eis que, faltando apenas 6s35, Larry Taylor fez falta em Olivinha, que converteu os dois lances livres e deixou o Fla com 83 a 78. Tirar uma vantagem de cinco pontos em poucos segundos era uma missão quase impossível, mesmo para o brigador time do Bauru. Deu tempo para Ricardo Fischer fazer de três e diminuir para 83 a 81. Mas logo depois, com 2s90 no cronômetro,o experiente Marcelinho sofreu falta e converteu um dos dois lances livres que tinha direito (84 a 81). E, assim, o Flamengo se classificou para a sua sexta semifinal em seis anos de existência do NBB. O atual campeão das Américas vai forte rumo ao tricampeonato da competição nacional.

as parciais

1º quarto: Bauru 20 x 16 Flamengo
2º quarto: Bauru 39 x 37 Flamengo - (19 x 21)
3º quarto: Bauru 58 x 63 Flamengo - (19 x 26)
4º quarto: Bauru 81 x 84 Flamengo - (23 x 21)

os duelos da série melhor de 5

Jogo 1 - Tijuca Tênis Clube - Flamengo  70 x 74 Bauru
Jogo 2 - Tijuca Tênis Clube - Flamengo 86 x 69  Bauru
Jogo 3 - Panela de Pressão - Bauru 73 x 92Flamengo
Jogo 4 - Panela de Pressão - Bauru 81 x 83 Flamengo

Compartilhe no Google +

About Primeiro Penta

Flamengo até depois de morrer, eu sou!
    Comentários no Blogger
    Comentários no Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Temos o direito de publicar ou não os comentários, já que, segundo a legislação brasileira, somos responsáveis por eles. Assim sendo, a educação é primordial nesse espaço. Comentários ofensivos não serão, obviamente, aprovados.
Comente sempre!