Olivinha é o Rei das Estatísticas do NBB






Os números impressionam. Apesar de muitas vezes ofuscado pelos pontos de Marquinhos e Marcelinho ou pelas assistências de Laprovittola e Gegê, Olivinha é "o cara" quando se fala em estatísticas.

O irmão mais novo de Olívia, ex-jogador do Flamengo nas décadas de 90 e 2000, tem seu nome assegurado entre os grandes do torneio. Entre os cinco primeiros colocados em três dos principais quesitos do basquete, sendo o líder em dois deles, o ala-pivô rubro-negro é o Rei das Estatísticas do NBB:

- Desde que atuava nas categorias de base, eu tenho esta característica. Sou um lutador, sempre disputo todas as bolas, só assim que você consegue pegar os rebotes, ainda mais eu que não sou o cara mais forte, o mais atlético e nem o que salta mais. Fico perto do aro, procuro estar sempre olhando o jogador que vai arremessar a bola, tentando imaginar onde ela vai cair e corro atrás. Ser considerado o Rei das Estatísticas, para mim, é novidade, mas gostei - afirmou o jogador de 2,02m e 31 anos.

Neste sábado, Olivinha, entra em quadra pela 33ª vez no NBB 6, para a primeira partida das quartas de final, diante do Bauru, às 21h30, no Ginásio do Tijuca. O SporTV 2 transmite ao vivo, e o GloboEsporte.com acompanha lance a lance, em Tempo Real.

Olivinha (Foto: Fabio Leme)

No topo dos rebotes (1.842) e duplos-duplos (84), o "lixeiro" admite seu fanatismo por números e estatísticas, mas se surpreende ao saber que é o quinto colocado (3.398) entre os cestinhas das seis edições do Novo Basquete Brasil, atrás, apenas, dos alas Marcelinho, Shamell e Alex Garcia, e do pivô Murilo, que o ultrapassou neste NBB 6. Acostumado a não ser a principal peça ofensiva de seus clubes, Olivinha reconhece o Pinheiros como a principal razão para esta artilharia pesada.

- Isso (presença entre os cestinhas) eu devo muito pela passagem que tive no Pinheiros, durante os quatro anos em que atuei por lá, me destacando na pontuação, pois o time era formado para jogar um pouco para mim, para o Marquinhos e para o Shamell. Aqui, no Flamengo, já é diferente, pois tem jogadores para dividir isso tudo e não me destaco tanto nos pontos, mas sim nos rebotes, que sempre foi uma característica minha. Sou fissurado em números. Quando acaba um jogo, procuro ver o scout da partida e ver como fui, em como posso melhorar. Vejo mais como fui nos rebotes, que é minha função no Flamengo. Às vezes, quando sei que fui bem nos pontos, vou correndo ver quantos fiz e se consegui fazer duplo-duplo. Isso me faz sentir muito útil para o time. Fico bastante satisfeito quando consigo, pois sei que ajudei a equipe a sair com uma vitória - descreveu o camisa 16 da Gávea, que já marcou 413 pontos e pegou 269, conseguindo 11 vezes dígitos duplos neste NBB.

Porém, não é sempre que os números jogam a favor do xodó rubro-negro. Sempre sorridente e brincalhão - com dificuldades até para posar de cara fechada para uma foto - são raras as situações que conseguem fazer o seu semblante mudar. Uma delas é quando percebe que ficou a uma cesta ou a um rebote de um duplo-duplo, fato que aconteceu em oito das 32 partidas do Flamengo nesta temporada. Quando a frustração vem, quem sofre é Thaissa.

- Minha esposa escuta bastante. Desde a saída do ginásio até a porta de casa, fico falando no ouvido dela, reclamando que não é possível pegar nove rebotes ou fazer nove pontos, ficar batendo na trave - contou.

Olivinha (Foto: Fabio Leme)

Neste sábado, o Flamengo volta a atuar no NBB pela primeira partida das quartas de final contra Bauru. Pela frente, além de um adversário que vem numa curva ascendente na competição, Olivinha terá que duelar, justamente, com Murilo. O pivô paulista é o seu grande concorrente na disputa pela coroa de Rei das Estatísticas. Se nos pontos o carioca está atrás, nos rebotes e duplos-duplos é ele quem vê o gaúcho de Farroupilha pelo retrovisor .

- Eu não sabia que estava brigando com o Murilo, mas é uma briga muito sadia nesse duelo de pontos, rebotes e duplos-duplos, são características do nosso jogo. Por enquanto, ele está ganhando na pontuação, mas vou virar esse jogo, já que já estive na frente dele no NBB passado - declarou o "matemático".

Olivinha (Foto: Fabio Leme)

Com a esposa do rival grávida de quadrigêmeos, Olivinha espera aproveitar uma possível falta de sono noturno do pivô do Bauru para recuperar a quarta posição.

- Isso é um ponto a meu favor, ele vai cansar bastante dentro de quadra e isso pode me ajudar um pouco (risos). Mas isso tudo é brincadeira, a gente sabe, ele vai fazer o melhor trabalho possível dele, tentar sempre fazer o melhor, assim como eu. Já jogamos uma vez nesse campeonato, já que ele não jogou a primeira partida, e nós ganhamos. Espero que o Flamengo volte a vencer e que desta vez, no confronto direto, eu também seja o vencedor e reassuma esse posto de quarto colocado - completou o camisa 16 da Gávea, relembrando os dois jogos das equipes pela fase de classificação, em que os cariocas saíram vencedores por 96 a 94, em Bauru, e por 85 a 66, no Rio de Janeiro.

Conheça os cinco maiores em cada quesito

PONTOS

1º Marcelinho (FLA) - 4.126
2º Shamell (PIN) - 3.955
3º Alex Garcia (BRA) - 3.540
4º Murilo (BAU) - 3.518
5º Olivinha (FLA) - 3.398

REBOTES

1º Olivinha (FLA) - 1.842
2º Murilo (BAU) - 1.592
3º Shilton (FLA) - 1.441
4º Jefferson William (SJO) - 1.306
5º Guilherme Giovannoni (BRA) - 1.293

DUPLOS-DUPLOS

1º Olivinha (FLA) - 84
2º Murilo (BAU) - 66
3º Guilherme Giovannoni (BRA) - 38
4º Shilton (FLA) - 37
5º Felipe (CEA) - 36
Compartilhe no Google +

About Primeiro Penta

Flamengo até depois de morrer, eu sou!
    Comentários no Blogger
    Comentários no Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Temos o direito de publicar ou não os comentários, já que, segundo a legislação brasileira, somos responsáveis por eles. Assim sendo, a educação é primordial nesse espaço. Comentários ofensivos não serão, obviamente, aprovados.
Comente sempre!