Marcelinho e Shamell comemoram final brasileira






Amigos fora de quadra, Marcelinho e Shamell costumam ser grandes rivais dentro dela (Foto: Fabio Leme)

As vitórias de Pinheiros e Flamengo diante de Halcones de Xalapa e Aguada, respectivamente, nesta sexta-feira, que classificaram os brasileiros para a decisão do Final Four da Liga das Américas, neste sábado, às 21h15m (horário de Brasília), no Ginásio do Maracanãzinho foram comemoradas pelos maiores ídolos das duas torcidas, Shamell e Marcelinho. Segundo os atletas, uma final brasileira só valoriza o esporte nacional, principalmente por ser a primeira vez que isso acontece na história da "Libertadores do basquete", em sete edições do torneio.

- Vai ser legal para o basquete brasileiro. Torcíamos para isto acontecer. Será a primeira vez de uma final entre dois brasileiros na Liga das Américas e espero que seja um grande jogo - disse o americano.

O duelo marca o encontro entre os dois maiores cestinhas de todas as temporadas do NBB. Líder na estatística, o sorridente ala rubro-negro diz que gosta de enfrentar jogadores do nível do adversário, a quem considera um cara de personalidade dentro de quadra e de muita alegria fora dela. Todavia, o capitão sabe que só tem espaço para um ser feliz ao término da decisão.

- É grande jogador, um cara que não se abala com o momento. Pode estar em um jogo não tão feliz, mas vai para a bola para decidir e sempre confiante. Gosto de encarar este tipo de jogador. Quando começamos a jogar basquete, o nosso pensamento é sempre encarar adversários do mais alto nível. Jogar contra jogadores do nível do Shamell é um estímulo para qualquer um. Mas eu tenho certeza que ele vai concordar comigo, ele só vai sair feliz daqui feliz se o Pinheiros ganhar, e eu só vou sair feliz daqui se o Flamengo ganhar. Só um vai sair feliz daqui - analisou Marcelinho, que tem 4019 pontos no Novo Basquete Brasil, contra 3803 do ala do Pinheiros.

O americano respondeu na mesma moeda. Fã declarado de Marcelinho, a quem define como "o cara" do basquete brasileiro, Shamell garante também crescer neste tipo de embate e promete empenho total para que o Pinheiros saia do Maracanãzinho com o bicampeonato consecutivo da competição mais importante do continente.

- Também sou um jogador muito competitivo e quero enfrentar sempre os melhores. Gosto desta rivalidade. Você tem que ter isto para ser bom, querer jogar contra "os caras" e o Marcelinho é este cara. Desde 2004, eu jogo aqui no Brasil e sei o que ele representa para o basquete brasileiro. Sei que ele vai decidir o jogo. Pode estar faltando cinco, quatro, três segundos, mas ele vai pegar a bola e vai decidir o jogo. Somos amigos fora de quadra, mas dentro dela, cada um vai defender o seu - ressaltou o cestinha dos paulistas neste torneio.

Compartilhe no Google +

About Primeiro Penta

Flamengo até depois de morrer, eu sou!
    Comentários no Blogger
    Comentários no Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Temos o direito de publicar ou não os comentários, já que, segundo a legislação brasileira, somos responsáveis por eles. Assim sendo, a educação é primordial nesse espaço. Comentários ofensivos não serão, obviamente, aprovados.
Comente sempre!