Flamengo vence Basquete Cearense em jogo suado






Marcelinho Basquete Flamengo x Ceará (Foto: Marco Aurélio / Fla Imagem)

Foi suado, literalmente. Os jogadores do Flamengo passaram sufoco para virar um jogo e conquistar a 11ª vitória do Flamengo no NBB. Depois de um primeiro tempo apagado e com muitos altos e baixos, os donos da casa encontraram o fôlego que faltou nos primeiros dez minutos, contaram com Marcelinho e Cristiano Felício inspirados e decisivos no terceiro período e venceram o Basquete Cearense, de virada, por 72 a 69 (35 a 34), nesta segunda-feira, pela 16ª rodada da competição.

Assim como na partida diante do Mogi, no último sábado, o camisa 4 rubro-negro foi o cestinha com 19 pontos. Já Felício foi responsável por 12 pontos, nos 11 minutos em que esteve atuando. Os americanos Brown e Devon foram os tormentos dos rubro-negros. O armador assinalou 18 pontos, enquanto o pivô marcou 17 e pegou dez rebotes. 

O calor insuportável que fazia no Rio de Janeiro conseguiu afastar o torcedor do Flamengo, que compareceu em pequeno número ao ginásio do Tijuca, e não incomodou o time visitante.  Pelo menos na maior parte do primeiro quarto. Com Devon inspirado, o americano anotou 13 pontos e pegou cinco rebotes, o Basquete Cearense imprimiu um ritmo alucinante e superou a defesa rubro-negra.

O Basquete Cearense passeava em quadra e chegou a abrir 22 a 10 a poucos mais de dois minutos para o fim do período. Mas quando o cansaço bateu, o técnico Alberto Bial trocou André Góes e Felipe, com duas faltas, por Drudi e Matheus.  

As mudanças surtiram efeito, mas negativo. A bola cearense parou de cair, e as de três do Flamengo começaram a entrar. Primeiro com Marcelinho, depois com Laprovittola. Consequentemente, a diferença que era de 12 pontos diminuiu para apenas seis ao fim dos primeiros dez minutos (22 a 16).

O apagão cearense continuou no segundo quarto. Com Devon no banco e um time completamente diferente do que começou jogando, a equipe de Bial continuou amassando o aro nos cinco primeiros minutos do período seguinte. O americano até voltou à quadra, mas se machucou no seu primeiro lance e saiu carregado para o vestiário.

O Flamengo não tinha nada com isso e foi tirando o prejuízo até passar a frente pela primeira vez numa bola de três do ala Marcelinho. Somando os quase três minutos finais do primeiro período com os poucos mais de cinco do segundo, foram 15 pontos rubro-negros consecutivos contra nenhum do adversário. Com 25 a 22 contra, Bial foi obrigado a parar o jogo outra vez e mudar o time novamente. 

Desta vez, o pedido de tempo quebrou o ritmo dos donos da casa, e as mudanças deram certo. Os erros mudaram de lado, e o Flamengo permitiu que o Basquete Cearense anotasse oito pontos consecutivos para retomar a liderança. Neto fez o mesmo e parou o jogo. A parada quebrou o ritmo alucinante, a partida passou a ser lá e cá. No fim do primeiro tempo, a vantagem de apenas um ponto foi rubro-negra.

O gás cearense do primeiro quarto mudou de lado, e o Flamengo voltou arrasador no terceiro. Principalmente Graças a Marcelinho e o jovem Cristiano Felício. A dupla anotou nada menos do que 19 dos 27 pontos dos donos da casa no período e comandou o show do Flamengo.

Dos 12 pontos marcados pelo camisa 21 em apenas dez minutos, quatro foram em duas cravadas sensacionais que levantaram o ginásio. O capitão rubro-negro foi mais econômico e fez sete, distribuindo ainda duas assistências.

Mas o calor era insuportável, e o Flamengo sentiu o ritmo alucinante do terceiro quarto na volta para o último período. Em quase três minutos de jogo, o time carioca anotou apenas um ponto num lance livre de Shilton, enquanto a equipe cearense marcou oito e diminuiu a diferença para dois. Neto não perdeu tempo e parou o jogo.

A parada atrapalhou as duas equipes, e o placar se manteve inalterado por quase dois minutos. Até que Olivinha acertou sua primeira bola de três no jogo e colocou o Flamengo seis pontos à frente. Mas o Basquete Cearense era valente e não desistia. Em duas jogadas dentro do garrafão, os visitantes encostaram novamente.  

O Flamengo sentiu a reação do time de Bial e parou de marcar. Jimmy aproveitou e empatou o jogo numa linda jogada individual. No lance seguinte, Jerome Meyinsse recebeu falta a 32 segundos do estouro do cronômetro e foi para a linha de lance livre. O americano errou o primeiro e acertou o segundo.  

A 16 segundos, o ala André Góes teve a chance de colocar o Basquete Cearense em vantagem com uma bola de três, mas errou o arremesso e a posse de bola voltou para os donos da casa. Marcelinho recebeu falta e converteu os dois lances livres. Jimmy teve a chance de diminuir o prejuízo para apenas um ponto, mas desperdiçou um lance e, praticamente, jogou a chance de ver a vitória candanga fora. Felipe ainda teve a última oportunidade para os visitantes, mas o arremesso de três do meio da rua caprichosamente bateu no aro.

As duas equipes voltam à quadra em datas diferentes. Enquanto o Flamengo encara o Uberlândia na próxima quinta-feira, às 20h, no ginásio Sabiazinho, no triângulo mineiro, pela 17ª rodada, o time cearense folga e só volta a jogar pela rodada seguinte, contra o Mogi das Cruzes, às 19h, em casa, no sábado.
Compartilhe no Google +

About Primeiro Penta

Flamengo até depois de morrer, eu sou!
    Comentários no Blogger
    Comentários no Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Temos o direito de publicar ou não os comentários, já que, segundo a legislação brasileira, somos responsáveis por eles. Assim sendo, a educação é primordial nesse espaço. Comentários ofensivos não serão, obviamente, aprovados.
Comente sempre!