Flamengo passeia contra a LSB na Gávea pelo NBB








Diante de um público calado e apenas razoável que encontrou forças para comparecer ao ginásio Hélio Maurício, na Gávea, nesta quinta-feira, o time de basquete rubro-negro mostrou em quadra contra a Liga Sorocabana, pela quinta rodada do NBB, a mesma pegada dos heróis dos gramados. Mesmo desfalcado de Marcelinho, Marquinhos e Benite, os três jogadores de maior investimento do elenco, a equipe comandada pelo técnico José Neto comprovou na prática a qualidade de seu conjunto e não teve maiores dificuldades para vencer o vice-lanterna da competição por 95 a 72 (54 a 38)

- Assim como nós não ficamos valorizando muito as vitórias, não valorizamos também as derrotas. Durante a semana, praticamente não falamos sobre o jogo contra o Pinheiros e preferimos focar nessa partida, que sabíamos que seria difícil - declarou o técnico José Neto.

Com 21 pontos, três rebotes e duas assistências, o argentino Nicolas Laprovittola mais uma vez foi o principal jogador do Flamengo. O americano Jerome Meyinsse (18 pontos e seis rebotes), Olivinha (15 pontos e oito rebotes), Shilton (12 pontos) e o armador Gegê (oito pontos e 11 assistências) também se destacaram. Pelo lado do time de Sorocaba, que amargou a quarta derrota em quatro jogos, os maiores pontuadores foram Smith, com 14 pontos, Schneider, com 13, Cox, com 11, e De Bem, que anotou dez.

- Sabemos que não tivemos uma grande atuação, mas essa vitória foi importante pela semana que passamos. Além de perdermos um jogador importante como Benite, nos recuperamos da derrota para o Pinheiros - afirmou Shilton.

As duas equipes voltam à quadra neste sábado pelo NBB. Enquanto os atuais campeões, em segundo lugar na tabela com 9 pontos (4v e 1d), recebem o Paulistano em casa, às 18h, novamente na Gávea, a Liga Sorocabana viaja até Macaé para enfrentar um dos estreantes do NBB, às 17h, no ginásio Juquinha.  

O JOGO

Ao contrário de seus torcedores, que pareciam ainda esgotados pela festa do dia anterior, no Maracanã, o time rubro-negro começou o primeiro quarto a cem por hora. Dispostos a apagar a fraca atuação na derrota para o Pinheiros, no último sábado, em São Paulo, o time carioca rapidamente abriu 5 a 0. Com Shilton, Laprovittola e Gegê inspirados – o trio anotou 20 pontos no quarto -, o Flamengo manteve o jogo controlado o tempo todo e fechou os primeiros dez minutos vencendo por 29 a 15.

O segundo período foi um pouco mais apertado, mas o time rubro-negro tampouco foi ameaçado pela equipe paulista. Com folga no placar, o técnico José Neto aproveitou para descansar seus principais jogadores e colocou em quadra Diego, Cristiano Felício e o jovem Léo, que deixou sua marca ao anotar seus dois primeiros pontos na competição.

Mesmo com uma equipe considerada reserva, os rubro-negros chegaram a aumentar a diferença para 20 pontos antes de encerrarem o período com uma vitória parcial de 54 a 38. Laprovittola com 14 pontos, Shilton, com 12, e Gegê, que anotou oito pontos e distribuiu seis assistências, foram os destaques do primeiro tempo. Pelo lado da Liga Sorocabana, que teve o técnico Rinaldo Rodrigues expulso após ser punido com duas faltas técnicas, o maior pontuador foi Schneider.

Se a situação da Liga Sorocabana já era complicada no intervalo, ficou ainda pior logo no comecinho do terceiro período. Irritado com uma marcação da arbitragem, o cestinha da equipe paulista reclamou e foi punido com uma falta técnica. Inconformado, Schneider continuou reclamando, recebeu a segunda técnica e foi expulso da partida. Antes de deixar a quadra, o ala peitou o árbitro Jonas de Carlo Pereira e precisou ser contido pelos companheiros.

O Flamengo não tinha nada com isso e aproveitou três dos quatro lances livres a que teve direito com Laprovittola. O argentino chegou aos 20 pontos, e a diferença novamente voltou a ser de 20 (64 a 44). Mesmo com o jogo sob controle e o adversário completamente dominado, a equipe carioca manteve a seriedade, ampliou a vantagem e foi para o último período com 77 a 53. 

José Neto aproveitou para poupar seus titulares nos dez minutos restantes. Com Olivinha, Meyinsse e Gegê no banco durante boa parte do período, o rendimento rubro-negro caiu, e a equipe acabou dominada. Mesmo com a derrota parcial por 19 a 18 no quarto, os donos da casa não tiveram a vitória ameaçada em nenhum momento.  No fim do jogo, o torcedor rubro-negro finalmente acordou e encontrou forças para cantar o hino do clube.


Compartilhe no Google +

About Primeiro Penta

Flamengo até depois de morrer, eu sou!
    Comentários no Blogger
    Comentários no Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Temos o direito de publicar ou não os comentários, já que, segundo a legislação brasileira, somos responsáveis por eles. Assim sendo, a educação é primordial nesse espaço. Comentários ofensivos não serão, obviamente, aprovados.
Comente sempre!