Atletas de Fa x Brasília explicam motivo de serem odiados pelas torcidas rivais






Alex e Marcelinho (Foto: Fabio Leme)

Nezinho, Alex, Marcelinho, entre outros, costumam ser jogadores bastante hostilizados pelas torcidas adversárias, especialmente quando jogam na casa do rival e acabam reclamando com o juiz ou discutindo com algum ídolo local. Isso, geralmente, acontece com atletas de personalidade forte, que costumam dar declarações mais contundentes e gostam de provocar, seja nas palavras ou nas atitudes. Os considerados decisivos.

Porém, para quem pensa que os xingamentos e as vaias são fatores que os intimidam, os tiram do sério e geram pressão, engana-se. Pelo menos é o que garante o armador de Brasília, deixando claro que adora catimbar e chamar a atenção.

 - Eu gosto, você é o foco. Jogadores como Alex, Marcelinho e eu gostamos disso. Isso serve de motivação para mim. Muitos pensam que fazemos isso para provocar a torcida adversária, os jogadores adversários, mas não é. Às vezes, você está ali, mais velho, falta alguma coisa para o jogo e acaba falando alguma coisa para provocar o time, a cidade. Isso faz com que eu me prepare melhor e fique mais ligado. É para motivar nós mesmos. Uma fala dele (aponta ara Marcelinho) dá uma repercussão que já o faz chegar no treino mais cedo, arremessar mais e, no jogo, estar preparado para quilo, não importando se tem uma mil, duas mil, ou cem mil pessoas. Ele usou a torcida, às vezes, a TV, a mídia para se preparar, pois o jogo é muito importante. Acho que é mais da personalidade do jogador - confessou Nezinho, que ainda admitiu ter perdido muito o foco com a pressão da torcida adversária no início da sua carreira, principalmente jogando em Franca.

Um dos mais odiados pelos torcedores de outros times, Marcelinho vê os atos hostis como algo comum, principalmente quando se trata de jogadores que costumam desequilibrar as partidas.

- Vejo como uma coisa natural. Se a torcida pega no pé de um jogador ou de outro, é porque ele chama a atenção. Com o passar do tempo, você vai se acostumando a isso e passa a ser um fator motivacional para você. Foca mais no jogo, tenta esquecer a torcida e a motivação pode aumentar - declarou o camisa 4 rubro-negro.

Muitas vezes visto ao lado da arbitragem reclamando, o cestinha flamenguista não se considera um atleta chato, mas sim, competitivo.

- Para mim não é chato, mas competitivo. Você tem dois times com jogadores de características vencedoras e que sabem que só um vai ganhar. É por aí, não tem muito segredo - defendeu-se Marcelinho.

Não muito diferente do rival de sábado, o armador da equipe da capital federal garantiu que quando vê o rubro-negro pressionar os juízes, se aproxima dele e faz o mesmo.

- Colo nele também (encosta em Marcelinho). São jogadores que querem vencer. Fazemos de tudo para ganhar, dentro dos quesitos certos - completou o camisa 23 do time brasiliense.

Flamengo e Brasília abrem a temporada 2013/14 do NBB, às 10h, na Arena da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. O jogo terá transmissão ao vivo da TV Globo.


Compartilhe no Google +

About Primeiro Penta

Flamengo até depois de morrer, eu sou!
    Comentários no Blogger
    Comentários no Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Temos o direito de publicar ou não os comentários, já que, segundo a legislação brasileira, somos responsáveis por eles. Assim sendo, a educação é primordial nesse espaço. Comentários ofensivos não serão, obviamente, aprovados.
Comente sempre!