Fla bate Macaé e está na final do Estadual






Cristiano Felicio Flamengo e Macae (Foto: Fabio Leme)

Na noite desta sexta-feira, em Campos, o Flamengo venceu sua quarta partida no Campeonato Carioca masculino de basquete. Após bater a equipe alvinegra na quinta-feira, os rubro-negros superaram o Macaé, pela segunda vez na competição, desta vez por 96 a 76 (40 a 34), e conquistaram sua vaga direta para a final, com duas partidas de antecedência, já que não podem ser superados por nenhum rival. E a noite teve mais uma boa notícia para os flamenguistas. Sem poder atuar nas três primeiras rodadas, o pivô Cristiano Felício teve seu imbróglio com o Minas resolvido e foi regularizado minutos antes de a bolar subir.

- Ainda estamos longe do que queremos fazer, buscamos nosso melhor ritmo ofensivamente e, principalmente, defensivamente. Precisamos marcar mais. Deixamos o Macaé converter cestas fáceis, mesmo só fazendo 76 pontos. Precisamos melhor bastante, este é o nosso foco. Pelo menos, nós conseguimos nosso objetivo de ir para a final e teremos mais tempo para trabalhar durante as semifinais - afirmou o técnico rubro-negro José Neto.

O duelo teve Benite, novamente, como o destaque do clube da Gávea com 25 pontos, dois a mais do que o americano Jerome Meyinsse. A exemplo do confronto na cidade do Rio de Janeiro, Duda foi o cestinha geral, com 27 pontos, sendo que nenhum no último período. Só no terceiro quarto, o armador fez 14, com quatro tiros certeiros de três, o que mantinha o sonho da vitória pelo lado dos macaenses.

O campeonato ainda terá mais quatro jogos na sua fase classificatória. Neste sábado, Campos recebe o Macaé. Já na próxima semana, as equipes jogam entre si, a princípio, na terra do petróleo. Por causa de obras no ginásio da equipe Norte-Fluminense, as partidas podem ser remanejadas para a Gávea.

Macaé começa melhor

Com um início onde os ataques se sobressaíram diante das defesas, o Macaé começou a ter o domínio do jogo muito por conta de seus armadores Jamaal e Duda, autores de 15 dos 24 pontos da equipe no período. Quando ajeitou o posicionamento do seu sistema de marcação, o time Norte-Fluminense chegou a abrir oito pontos de frente, restando pouco menos de quatro minutos para o fim do quarto. Coube ao técnico José Neto alterar o tipo de defesa de individual para zona, o que surtiu efeito imediato. Com boa participação de Meyinsse, com sete pontos e três rebotes, e Benite, com seis pontos, o Flamengo encostou no placar. 24 a 23.

Mais bem postado em quadra, o Rubro-Negro logo conseguiu a virada no começo do segundo quarto. Com uma marcação sem dar espaços ao Macaé, que era forçado a chutar de longe, Shilton e Felício tomavam conta do garrafão - foram três rebotes para cada um na parcial. A superioridade do clube da Gávea só não foi maior por causa da performance de Duda, cestinha da primeira etapa e responsável por 13 dos 34 pontos do alvianil, além do guerreiro Atílio, que lutava contra os dois pivôs do Flamengo, apanhando três rebotes ofensivos. O atual campeão do NBB foi para o vestiário com a vantagem na parcial por 17 a 10 e no placar por 40 a 34.

Duda deixa Macaé no jogo

Atrás, o técnico Leonardo Costa utilizou do mesmo artifício do Flamengo e adotou a marcação por zona. Apesar de ter surtido resultado nos minutos iniciais, o treinador foi obrigado a sacar o pivô argentino Juan Torres, pendurado em faltas. Mais forte no garrafão, o jogo ficava a feição de Jerome Meyinsse. O pivô, que fez dez pontos no quarto, protagonizou a jogada mais bonita da partida ao dar um toco em Atílio, puxar o contra-ataque, tabelar com Olivinha e, só não cravar, pois recebeu falta antidesportiva de Márcio Dornelles. Mesmo sendo inferior, o time de Macaé conseguiu vencer a parcial graças a uma atuação irretocável de Duda, que meteu quatro bolas de três, fazendo 14 dos 24 pontos da equipe, e diminuir a desvantagem. 63 a 58.

Vindo para o tudo ou nada na etapa final, o Macaé apressava e errava as jogadas. Faltando 6m21s, o técnico Léo Costa teve que parar o jogo, após uma bola de três de Benite, que fazia grande partida e acabou sendo o cestinha do time com 25 pontos. Neste momento, a vantagem do Rubro-Negro estava em 13 pontos. Desesperados, os macaenses começaram a reclamar da arbitragem e forçar as bolas em Duda, extenuado, e no pivô Atílio, os únicos que pontuavam. Sem forças, viram o Flamengo aumentar a distância e fechar o jogo por 96 a 76.


Compartilhe no Google +

About Primeiro Penta

Flamengo até depois de morrer, eu sou!
    Comentários no Blogger
    Comentários no Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Temos o direito de publicar ou não os comentários, já que, segundo a legislação brasileira, somos responsáveis por eles. Assim sendo, a educação é primordial nesse espaço. Comentários ofensivos não serão, obviamente, aprovados.
Comente sempre!