Feriado impede julgamento no STJD, e Fla terá força máxima na final do NBB







Sobraram empurrões, provocações, xingamentos e até socos na confusão generalizada após a quarta partida da série melhor de cinco das semifinais do NBB, entre Flamengo e São José, mas faltou tempo hábil para que o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) do basquete pudesse julgar e punir os brigões antes da final da competição, em um jogo único, no próximo sábado, às 10h, na Arena da Barra, no Rio de Janeiro. O STJD deverá intimar os atletas ainda nesta semana, mas, em razão do feriado de Corpus Christi, na quinta-feira, o julgamento não poderá ser realizado antes da próxima segunda, dois dias após a decisão. A sessão só poderia ser antecipada caso todas as partes estivessem de acordo.

- A súmula já está em nossas mãos e veio carregada de muitas informações, mas como quinta-feira é feriado, e precisamos de três dias úteis para intimar os atletas e marcar o julgamento, nenhum jogador será punido antes da decisão. O julgamento acontecerá após a competição, e os jogadores, caso punidos, só irão cumprir a pena na próxima temporada - explicou Fabrício Dazzi, presidente do STJD do basquete.

Apesar de lamentar os fatos ocorridos em São José dos Campos, o advogado afirmou ainda que as imagens mostradas na televisão e as informações relatadas na súmula da partida não justificavam uma suspensão preventiva.

- É claro que as cenas que vimos em São José dos Campos são lamentáveis e graves para o basquete, mas não houve nenhum fato que justificasse um pedido de suspensão preventiva de 30 dias como aplicamos no caso do Jeff Agba - explicou Fabrício Dazzi, referindo-se ao pivô de Bauru, denunciado no artigo 254-A do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD) após uma agressão ao ala Jhonatan, da equipe de Franca.

Compartilhe no Google +

About Primeiro Penta

Flamengo até depois de morrer, eu sou!
    Comentários no Blogger
    Comentários no Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Temos o direito de publicar ou não os comentários, já que, segundo a legislação brasileira, somos responsáveis por eles. Assim sendo, a educação é primordial nesse espaço. Comentários ofensivos não serão, obviamente, aprovados.
Comente sempre!