História do Basquete no Flamengo








O basquete rubro-negro ganhou seu primeiro campeonato em 19192 , o Campeonato da Cidade do Rio de Janeiro (masculino), título que voltou a conquistar em 1932. O tricampeonato conquistado em 1933 (este invicto), 1934 e 1935 foi o primeiro da história do clube . Em 19344 , 19495 , 1951 e 19536 , o Flamengo foi campeão brasileiro em campeonato organizado pela antiga CBD (Confederação Brasileira de Desportos).

Passados treze anos, a coordenação técnica ficou a cargo de Togo Renan Soares, o Kanela, que hoje dá nome ao ginásio. A chegada do novo técnico revolucionou a história do basquete rubro-negro e acabou com a "seca" de títulos. Em 1948 e 1949, o Flamengo foi bicampeão estadual. No ano de 1951, Gilberto Cardoso se tornou presidente e a partir daí o Flamengo entrou na década de ouro do basquete rubro-negro. De 1951 a 1960, o Flamengo sagrou-se decacampeão carioca. Durante esses 10 anos, foram 193 vitórias e 4 derrotas. A equipe formada na época destacou atletas que fizeram nome no clube como: Algodão, Gedeão, Alfredo, Godinho, Guguta, Waldyr Boccardo, Fernando Brobró (campeão do mundo em 1959 e 1963), Arthur, Zé Mário, Tião Gimenez e Ardelum.

O basquete masculino do Flamengo voltou a conquistar títulos em 1962, 64, 75, 77, 82, 84, 85, 86, 90, 94, 95, 96, 98, 99 e 2002. Atualmente, o Flamengo é heptacampeão estadual, com os títulos de 2005, 2006, 2007, 2008, 2009, 2010 e 20113 . Nas décadas de 70 e 80, o destaque da equipe era Pedrinho. Entre os anos de 1999 e 2003, o grande nome do basquete rubro-negro foi Oscar Schmidt, o mão santa, que encerrou a carreira no clube.

Em 2008, o Flamengo foi pela primeira vez campeão do Campeonato Brasileiro . Em 2009, o Flamengo começou o ano com uma grande equipe, sagrando-se campeão da Liga Sul-Americana de Basquete8 e conquistando o segundo título brasileiro.
Compartilhe no Google +

About Primeiro Penta

Flamengo até depois de morrer, eu sou!
    Comentários no Blogger
    Comentários no Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Temos o direito de publicar ou não os comentários, já que, segundo a legislação brasileira, somos responsáveis por eles. Assim sendo, a educação é primordial nesse espaço. Comentários ofensivos não serão, obviamente, aprovados.
Comente sempre!