Como foi o jogo Flamengo x Tijuca pleo NBB 5







Ofensivamente, o primeiro quarto do Flamengo beirou a perfeição. O time rubro-negro acertou nada menos do que 14 em 16 arremessos tentados. O aproveitamento foi tão acima da média na vitória parcial por 29 a 19 que Marquinhos, com dez pontos, Olivinha, com quatro, e Benite, com outros cinco, não cometeram erros e terminaram o primeiro quarto com cem por cento de aproveitamento.

Com uma certa folga no placar, o técnico José Neto aproveitou para descansar seus titulares e trocou quase o time inteiro. Duda, um dos três jogadores que começaram o segundo período, até acertou uma bola de três no seu primeiro arremesso no jogo. Mas foi só. O Tijuca cresceu e aproveitou. A marcação, principal preocupação do treinador rubro-negro, voltou a falhar, e o Flamengo, que chegou a estar vencendo por 12 pontos, sofreu 23, anotou somente 11 e foi para o vestiário perdendo por 42 a 40.

O terceiro quarto foi igual. Mas enquanto o Tijuca disputava cada jogada como se fosse a última, o Flamengo dava a impressão de que estava em quadra apenas para cumprir tabela. Apesar de inferiores tecnicamente, os donos da casa se superavam individualmente, principalmente o americano Bishop, que levantou os torcedores tijucanos com uma enterrada sensacional, após deixar o ala Marquinhos no chão (assista à jogada). Fim de quarto, Tijuca na frente: 62 a 60.

O Tijuca voltou para o último quarto embalado e abriu cinco pontos depois de uma bola de três de Arnaldinho. O Flamengo empatou, deu a impressão de que jogaria como líder da competição, mas voltou a errar demais e permitiu que o Tijuca abrisse cinco pontos de frente novamente. Melhor em quadra, o Tijuca chegou a pouco mais de um minuto para o fim do jogo vencendo por quatro pontos, mas uma bola de Duda do meio da rua diminuiu a diferença e recolocou o Flamengo no jogo. Renan , com dois lances livres certos a 28 segundos para o fim, recolocou os donos da casa em vantagem. O time rubro-negro deu o troco com Olivinha no ataque seguinte e a partida foi para a prorrogação: 81 a 81.

Duas prorrogações e vitória rubro-negra

Dispostos a não perder para os vice-lanternas da competição, o Flamengo entrou mordido e melhorou na marcação. O ataque rubro-negro, porém, seguia cometendo erros bobos. E, justamente numa dessas bobeadas, o Tijuca teve a vitória nas mãos numa bola de três de Cesar. Mas o arremesso do camisa 5 dos donos da casa bateu no aro. Caio Torres ficou com o rebote e passou para Kojo. O americano recebeu falta e converteu apenas um dos dois lances livres, deixando o Rubro-Negro à frente do placar por 93 a 91. Quando o jogo parecia decidido, Bishop acertou uma bola no estouro do cronômetro, igualou o placar do tempo extra em 12 a 12 e levou a partida para a segunda prorrogação

Os jogadores do Flamengo começaram a segunda prorrogação com as mãos certeiras e abriram cinco pontos após uma bola de três pontos de Marquinhos (veja ao lado), dando a impressão de que o time finalmente deslancharia no placar. Mas a equipe voltou a oscilar e permitiu que o Tijuca passasse à frente após duas bolas de três de Marcellus. O Flamengo voltou a ficar na frente com dois lances livres de Olivinha. Marcellus ainda teve a chance de acertar outra de três e dar a vitória aos donos da casa, mas a bola bateu no aro e caiu nas mãos de Benite, que sofreu falta e acertou os dois lances livres para finalmente selar o triunfo rubro-negro por 107 a 103 (14 a 10 no segundo tempo extra).


Compartilhe no Google +

About Primeiro Penta

Flamengo até depois de morrer, eu sou!
    Comentários no Blogger
    Comentários no Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Temos o direito de publicar ou não os comentários, já que, segundo a legislação brasileira, somos responsáveis por eles. Assim sendo, a educação é primordial nesse espaço. Comentários ofensivos não serão, obviamente, aprovados.
Comente sempre!